Estudo analisa relações de trabalho e problemas de saúde em usinas de Rondônia

Estudo analisa relações de trabalho e problemas de saúde em usinas de Rondônia

Data: 29 de setembro

Jornadas de trabalho abusivas, acidentes de trabalho, exaustão, essas foram algumas das reclamações feitas por trabalhadores das usinas de Santo Antônio e Jirau do Rio Madeira, em Rondônia, para a pesquisadora Ana Flora Camargo Gerhardt, que, em maio, apresentou a dissertação Impactos na saúde dos trabalhadores das Usinas Hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau do Rio Madeira – Rondônia sob o olhar da vigilância em saúde do trabalhador, na Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz).

De acordo com o estudo, entre os medos dos trabalhadores figuram os acidentes de trabalho e as lembranças da greve que em 2011 resultou em destruição do alojamento, ônibus e ambulatório. Embora apareçam na fala dos entrevistados, as informações sobre os acidentes são ocultadas pelas empresas contratantes. Há relatos de que óbitos ocorridos no canteiro de obras só são registrados a caminho do hospital, numa tentativa de burlar a legislação trabalhista. E empresa, via de regra, culpa a imprudência dos próprios trabalhadores pelos acidentes.

Ana constatou que os trabalhadores se orgulham por fazerem parte de um projeto grandioso como é a construção de uma hidrelétrica, mas que as irregularidades acontecem já no processo de contratação. “Os depoimentos sugerem que exista uma ouvidoria independente, onde os trabalhadores possam falar livremente com representantes do Ministério do Trabalho sobre seus problemas trabalhistas, focando seus direitos e obrigações”.

Saiba mais

Fonte: Portal Fiocruz

Por |2014-09-29T15:49:39-03:0029 de setembro de 2014|Notícias|